Síndrome de Down em bebê

0
Síndrome de Down em bebê (Foto: Divulgação)

A gestação é uma fase de muita ansiedade para todas as mamães. A hora do parto é o momento mais aguardado, cheio de expectativas. Queremos ver o rostinho de nosso bebê, se ele nasceu saudável e perfeito. Mas infelizmente alguns bebês, nascem com alguma alteração genética ou até problemas mais graves. Por mais que nossa gestação tenha sido repleta de cuidados as vezes algum problema é inevitável.

Síndrome de Down em bebê (Foto: Divulgação)
Síndrome de Down em bebê (Foto: Divulgação)

Hoje falaremos sobre a Síndrome de Down :

A síndrome de Down é uma alteração genética relativamente frequente, se comparada a outras síndromes cromossômicas, pois atinge cerca de 1 em 600 bebês nascidos vivo.

A criança possui 46 cromossomos de regra e às veze acontecem erros durante o processo da concepção e multiplicação das primeiras células do embrião. A síndrome de Down é um desses erros cromossômicos. O que ocorre é que um terceiro cromossomo se infiltra no cromossomo 21 do bebê. Dos 23 pares de cromossomos, o 21° par fica com três cromossomos, em vez de dois, e o equívoco passa a ser reproduzido nas células da criança.

Especialistas não conseguem explicar porque aparece um cromossomo a mais. Pode vir tanto do pai quando da mãe.

O foi analisado é que quanto mais velha a mulher, maior é a probabilidade de ter um bebê com Down. O que se sabe é que não há culpados. Não há nada que se possa fazer antes ou durante a gravidez que previna a síndrome de Down.

Cada bebê que nasce com síndrome de Down pode apresentar características específicas.. O bebê pode nascer com músculos e articulações menos tonificadas que outros bebês, mas isso pode melhorar conforme ele cresce. A pele apresenta certa flacidez característica da síndrome de Down, principalmente na região do pescoço. Ele também pode nascer com peso mais baixo que a média dos bebês e ganhar peso mais devagar.

Síndrome de Down em bebê (Foto: Divulgação)
Síndrome de Down em bebê (Foto: Divulgação)

Bebês que têm síndrome de Down normalmente têm olhos oblíquos, puxadinhos para cima. Às vezes as pálpebras têm uma dobra de pele a mais, o que pode acentuar a expressão dos olhos, mas isso não interfere na visão da criança. A cabeça pode ser um pouco mais chata que a dos outros bebês. As orelhas ficam numa posição um pouco mais baixa na cabeça, e os polegares também têm características especiais.

Também são mais frequentes na síndrome de Down: obesidade, baixa estatura, alterações do sistema endócrino como diabete e hipotireoidismo, alterações hematológicas (no sangue), além da propensão maior a infecções.

A criança com síndrome de Down, tem uma vida normal, corre anda de bicicleta, lê escreve, só que o aprendizado é mais lento e limitado.

Exames invasivos como a amniocentese e a biópsia do vilo corial, diagnosticam a síndrome durante a gestação.

SEM COMENTÁRIOS